sexta-feira, outubro 24, 2008

(...)



Hoje corrompo o meu sangue, destruo a minha mente, nado furiosamente contra a corrente, fico cega com a pressão, emociono-me com a fragilidade do meu coração.
Fito a vela que num gesto inconsciente resolvi acender e que me oferece o esboço do meu rosto. Deixo as lágrimas percorrerem os caminhos que sonhei e comovo-me com as minhas carências. E cumpro...cumpro estas linhas, violento o meu corpo, atormento a minha mente e em todo este silêncio, apenas se escuta o meu grito! Nada imploro, nada peço, mas não te assustes com a minha franqueza, tenho medo...tenho tanto medo….

9 comentários:

nommmada disse...

ando a tirar o pó a blogs pouco frequentados, em boa hora o fiz, olá igara não sei se me recuerdas do old e saudoso chat do sapo, faz mal...lembrei-me ao ler tua escrita que o medo da partilha só existe por recearmos o que sentimos, e a vida é tão curta...segue a verdade um abraço

Teresa Queiroz disse...

todos temos...tanto medo...


um araço
teresa

Crowe disse...

porra pá.... bom, muito bom. Fiquei em pulgas com este texto amiga e ameiiiiiiiiii a imagem.
beijos

alexia disse...

Ha quem cante por ai que só lá chega quem não tem medo de naufragar! Pessoalmente a maior parte das vezes arrisco mas já me encolhi, dissimulei, castrei...e assustei:)
Beijo, sem grandes explicaçoes por uma ausencia que toca a todos!

Gui disse...

Vim aqui com alguma nostalgia com saudades de te ler, e então não é que dei com posts novos e belos como sempre. Desde que partiste, vim aqui algumas vezes na esperança de te encontrar mas sempre sem sucesso. Depois deixei de vir. Voltei hoje e em boa hora o fiz. Quer-me parecer que vens agora aqui desabar quando sentes necessidade premente de o fazer. AAdorei os teus textos...como sempre. Um beijo carregadinho de amizade sincera deste teu amigo velho.

Gui disse...

Vim aqui com alguma nostalgia com saudades de te ler, e então não é que dei com posts novos e belos como sempre. Desde que partiste, vim aqui algumas vezes na esperança de te encontrar mas sempre sem sucesso. Depois deixei de vir. Voltei hoje e em boa hora o fiz. Quer-me parecer que vens agora aqui desabar quando sentes necessidade premente de o fazer. AAdorei os teus textos...como sempre. Um beijo carregadinho de amizade sincera deste teu amigo velho.

Gui disse...

Já vai quase 1 ano que não voltaste aqui. E eu, sempre cheio de esperança de encontrar novidades, venho cá frequentemente. Infelizmente sem resultado. Um beijo minha amiga.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE:
PENSAMENTOS DA ALMA


ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CABALLO, LA CONQUISTA DE AMERICA CRISOL Y EL DE CREPUSCULO.

José
ramón...

Tuanny Sampaio disse...

Adorei seu blog...textos incriveis!
Parabenss!
bjos