quarta-feira, maio 09, 2007

Senti a falta de mim...


Senti a falta de mim...
Dos Sonhos, de querer Voar,
Senti a Falta do Riso...
De Sorrir ao despertar!
Senti a falta do Canto...
De embalar e adormecer,
Senti a falta de tanto...
De não querer para não perder!
Senti a falta dos beijos
Dos mimos, das alegrias,
Senti a falta da Vida,
De a ver esgotar-se nos Dias!
Senti a falta de mim...
Estive de mim tão ausente...
Que quase então me perdi,
Mas estou em mim novamente!

17 comentários:

macmartinson disse...

Olá, amiga
como similitudes acontecem...

VIRAR A PÁGINA
______________

Há dias em que acordo com vontade de virar a página da vida; outros nascem cheios de desejos insanos, pedindo-me que rasge o livro,

que apague os capítulos ou que corrija os erros e os manuscritos guardados secretos no meu coração...
Mas eu sei que há páginas, capítulos, parígrafos ou periodos que são sagrados e a semente de obras-primas que apenas aguardam o momento para renascer e cumprir o seu destino...e ser fonte de felicidade para quem as ler ou escrever!

Como é contraditória e estranha a natureza humana!
Por vezes, até tenho medo de mim, porque sinto ganas de pegar no livro e de o queimar nos infernos que eu mesmo criei.

Porque os criei? Porque razão degeneram, por vezes, os nossos paraísos e os sonhos saltam as cores do arco-íris e mergulham na escuridão?

É por esta e outras incoerências que o livro da vida é sublime!


Quem, num dia de loucura ou num ápice de desespero, o fechar abruptamente ou dele arrancar as páginas mais negras e doloridas, não terá direito à prometida eternidade, onde, livre dos defeitos mortais, poderá lê-lo com os olhos da candura que fazem da felicidade e da vida perene uma inesquecível e sublime aventura...

Nos dias em que tenho vontade de virar ou arrancar as páginas do livro da vida, sorrio e mostro o dedo anelar ao diabo..., porque eu sei muito bem de quem sou filho, irmão, amigo, companheiro, e a esse eu não atraiçoarei nunca, por mais que o anjo da noite me tente.

Eu, pecador, me confesso:
dá-me gozo tentar o diabo..., deixá-lo enfurecido...e levá-lo de vencida, porque assim nunca me esqueço que a vida é um combate permanente e muito aliciante...
E eu nasci para ganhar esse desafio...

A minha vida sempre será um livro aberto..., com páginas virgens, brancas e multicolores...

Nele estão registadas as palavras das linhas, dos períodos, dos parágrafos e dos capítulos de outras vidas que com a minha se cruzaram e a enriqueceram...

Guardado no mais recôndito do meu coração, a todos o meu livro exprime eterna e inefável gratidão...


Ah! Como me sinto orgulhoso de vos ter comigo...

no Livro da minha Vida !


LUD
MacMartinson

Gui disse...

Parece que o mau tempo já passou minha querida Igara. Finalmente encontraste-te de novo e felizmente
estás de volta, com o talento do costume e com mais um belo poema.
Senti a falta de ti. Um beijinho grande

Tacitus disse...

A vida prega-nos muitas partidas, sem aviso prévio. É dificil estar preparado para lidar com certas situações mas tu soubeste ter a atitude certa. A vida piscou-te o olho e ainda bem, fico feliz por ti. Beijo grande.

Passo disse...

ainda bem q voltaste com essa alegria de viver do costume ... sentiste tanta falta de ti q nem dormes ... descansa agora e volta para nc mais sentires a tua falta :)

luar perdido disse...

Sejas bem vinda minha Igara de doces asas. Voltarmos a nós é um dom que nem sempre conseguimos fazer vingar na vida, Tu conseguiste! Felizes nós que te acolhemos de novo com todo o carinho.
Gosto muito de te ler, sentir viva e mulher.
Beijinhos mansos e doces

Anónimo disse...

Bem-vinda de volta, Prima! Gostei de te ler...Beijinhos Susana-silva3

salexia disse...

Nem sabes a irritação que sinto de mim propria por não ter nada de novo para te dizer quando te sinto tão renovada...
Nem sabes as furias que me dão por ler o que escreveste e não conseguir ser mais original...
SENTI FALTA DE TI:))

Coral disse...

... Querida Madrinha, não sou dos que defendem que o sofrimento, venha ele em forma de angústia ou mesmo dor fisica, seja essência da vida. Podemos ser grandes sem termos sofrido. Aliás, seremos maiores se conseguirmos considerar o sofrimento e respeitá-lo sem nunca o ter sentido...

Mas se a vida tem fases assim, há que aprender com elas. E tu, como sempre, magestralmente aprendeste e voltaste renovada ...

Um beijo grande e reocnheço-te sempre uma grande valentia ...

Rafaela disse...

(`“•.¸(`“•.¸ ¸.•“´) ¸.•“´)
  «`“•.¤Boa tarde!¤..•“´»
  (¸.•“´(¸.•“´ `“•.¸)`“ •.¸)
Ser feliz... não é ter uma vida perfeita,
Ser feliz... é reconhecer que vale a pena viver,
apesar de todos os desafios e perdas...
Ser feliz... é deixar de ser vítima dos problemas
e se tornar autor da própria história...
Ser feliz... é uma conquista e não obra do acaso...
Bjokaaasss!!

KI disse...

Hello baby

Não se me pôs outra hipótese que não o reencontro de ti contigo, desse agora espaço calmo em que saboreias a batalha vencida. Sabes como gsoto de ti não sabes? Mas para que te lembres melhor, um dia destes apreço-te aí, para te dar daqueles abraços de estalar os ossos e arrepiar as unhas dos pés, e beijos sem cuspico mas repenicados que até fazem os tímpanos zunir.

E se tiver forte nesse dia ( a ver se me lembro de me enfrascar em espinafres logo pela manhã ' Im Popey the sailorman uhuu') rodopio-te a 454867726382748 rpm, até levantarmos vôo e fazermos weeeeeeeeeee, achas que nos chamam O.V.N.I.?

Beijão e um sorriso terno por te ler : 'Mas estou em mim novamente!'

joão mário disse...

Só tenho pena de não ter sabido que tinhas estado ausente de ti minha India. Fiquei um pouco preocupado, mas acredito que tu saberás sempre dos momentos de regressares a ti! Aqui, o Mar está como tu gostas e a praia, deixa-se beijar a todo o momento!

pedro alex disse...

O reencontro pode ser fantástico, no teu caso de certeza que o é.
Bem-vinda a ti.
Bjs

Anónimo disse...

È bom ter-te de volta espero que o mau tempo tenha passado e que já possas ver o sol brilhar como de costume, o teu sobrinho está lindo
sjdppp@gmail.com

igara disse...

Sjdppp, minha querida amiga... já passou sim. Agora estou de volta! O meu sobrinho deve de estar um espectáculo, mas também, com uns pais como os que ele tem, não podia ser de outra maneira! Adoro-te, do fundo do coração! :)

igara disse...

Sjdppp, minha querida amiga... já passou sim. Agora estou de volta! O meu sobrinho deve de estar um espectáculo, mas também, com uns pais como os que ele tem, não podia ser de outra maneira! Adoro-te, do fundo do coração! :)

Just disse...

... deve ser dificil ter momentos destes ...
pouco posso dizer porque não tenho estes sentimentos, e de facto a minha "frieza" não me permite imaginá-los. mas o mais interessante deve ser a força necessária para ultrapassar estes estados de alma. essa força, se calhar não tenho, nunca precisei.
e se um dia ... como vai ser ?

igara disse...

just, se um dia... verás que te vais surpreender com os lugares onde vais desencantar a tua força. Verás que não serás assim tão "frio" e que os sentires se dimensionam para além da ideia que fazemos de nós. Acabam por se prender com muito mais intensidade à forma como queremos os outros. Tudo nos faz sentido de uma outra forma, apenas porque o tempo se torna curto para tudo o que queremos fazer, todos os momentos redobram de intensidade e todos os segundos são unicos! Depois, estes momentos fazem-se acompanhar de lágrimas, e essas por serem água, lavam as dores deixando mais claro o que queremos para nós, como queremos e até quando queremos! Por isso Just... se um dia te acontecer um momento assim (e espero que nunca te aconteça)... certamente não te vais perder, naquilo que julgas ser a "frieza" dos teus sentimentos!:)
Um beijos mansinho.... e volta sempre! :)