sexta-feira, julho 07, 2006

Desencontros


Nos dias dos desencontros,
O desencanto é maior!
Cala a dor o Mar infindo,
Tece-se duro o destino.
E em gritos que se calam
Nas palavras que não digo
Dou passos lentos, seguros
Para traçar o meu caminho.
Mas a angustia que me fica
Do silêncio que emudece,
Torna o Coração bravio,
Pois de lutas sem sentido
Silencia-se e fenece!
Fica o silêncio apenas
Marejado de memórias
Lembranças boas e más
Que salpicam levemente,
De brilhos, as minhas histórias.

13 comentários:

Coral disse...

Encontro-te num momento em que também me desencontro...


Um beijo grande Madrinha e bom fim-de-semana

homem de negro disse...

olá...
assim sendo, talvez queiram caminhar ao meu encontro, sabeis que tenho sempre um carinho para vos dar...
um bom fim-de-semana, a gente, seguramente, encontra-se por aí...

Fee disse...

Muito bonito! Mas espero que te encontres:)
P.S. obrigada pela visita ao nosso blog (umblogparadois.blogspot.com)! Se me ri com o texto original, ainda me ri mais com os teus tópicos:) muito bem visto, sim senhora! Temos de pôr os homens na linha!
beijinhos

SanNina disse...

lindo lindo entre encontros e desencontros lá vamos vivendo esta aventura k é a vida!!

Crowe disse...

Perdi as minhas palvras por aqui! Desencontrei-me delas e pronto...talvez com o meu GPS as encontre! Mas gostei muito de as ter perdido ao ler-te! Se as encontrares , de certo, mas entregas ou usas sabiamente! Beijinhos

pb disse...

desencontros, que por vezes duram uma vida... um beijo e boa semana

Pinochio disse...

"Nos dias dos desencontros, o desencanto é maior". É verdade, são dias doridos, sofridos, angustiantes. São por vezes desencontros, como disse aqui o PB, que por vezes se prolongam pela vida inteira. É a frustração permanente que pode ser atenuada, aqui ou além, mas não será nunca esquecida.
" Cala a dor o Mar infindo". O mar! Porque será que o mar é um confidente previlegiado? Talvez porque nos acalma, poruq na sua imensidão nos mostra que tantas vezes os nossos problemas não passam de meras gotinhas, na imensidão que temos à nossa frente. O mar nesse caso representa a vida. Mas uma coisa é certa, o silêncio, tantas vezes sofrido, que envolve os nossos desencontros passados, não chega para os apagar da nossa memória, e salpicam como dizes, de brilhos a nossa história. LIndo poema, minha doce amiga. Bejinhos carregadinhos de uma imensa amizade.

Maria disse...

Os desencontros são meros momentos de reflexão, para o encontro e reencontro de outras ilusões...

Lindo.

Tacitus disse...

Por vezes são necessários desencontros para que os reencontros sejam mais intensos...uma boa semana para ti e um beijo nacional ;)

Vlad disse...

Quem pode dizer se uma luta tem sentido antes de a travar ?
Não feneça nem se silencie um coração bravio, antes se fortaleça em cada desencontro e continue a inundar de brilho todas as histórias.
bjnhs especiais ;)

cinnamon girl disse...

Gostava de dizer adeus ao desencontro...ultimamente ele persegue-me...

Anónimo disse...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. »

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! search engine placement video cards free fax software http://www.chevrolet-window.info