sexta-feira, julho 21, 2006


Será que choro por despeito
ou por medo de viver
Será que a dor no meu peito
cessará de doer...
Será que sofro por orgulho
ou por não querer esquecer
Será que a mágoa em que mergulho
afogará o meu sofrer...
Será que alucino em solidão
ou estarei mesmo sozinha
Será que a dor no coração
é apenas culpa minha...
A solidão é uma verdade
e apesar da multidão
choro em silêncio a saudade
de preencher meu coração.

13 comentários:

Pluma(princesavirtual) disse...

Olá Patai :)

este poema é lindissimo...muito mesmo.

Beijosss :)

crowe disse...

Ler a alma das pessoas devia ser proibido! Beijos imensos amiga ave

Eternal disse...

Olá! gostei muito deste espaço, e este poema tocou-me profundamente...Beijinho Lunar

alexiaa disse...

Solidão e saudade juntas são um motivo mais que suficiente para lágrimas desalmadas correrem sem piedade!
Apesar de autores diferentes os temas são ambos..pensamentos da Alma!

Boa semana!

Lucifer119 disse...

Ora bem, vim aqui parar por acaso cusco. Li, ouvi e gostei. Fechei os olhos, esqueci os pensamentos e lembrei-me de emoções cuja memória foi direitinha para os sentidos, surgindo-me de imediato ao olhar o título de um livro que já li há algum tempo : " A Lei do Amor" da Laura Esquível. Não me perguntem se esta associação tem algo a ver com as personagens do livro ou o "enredo", pois mal me recordo do que ali se passa. Delo apenas sobra uma energia carnuda, de polpas silvestres, intensa e odorosamente lúbricas e idílicas. Da mistura do que li e ouvi aqui e do que me ficou da leitura desse livro, só sei que é tão bom sentir; desrazoar-me, desalmar-me e fruir destes estímulos que nos deixam registos de sensações maravilhosamente emocionais.
Com um beijo cusco

callanish disse...

Adorei

Maria disse...

Ás vezes apesar de termos uma multidão à nossa volta e uma vida preenchida, sentimo-nos sós. São as razões que a razão desconhece.

Lindo o teu poema.

Jokas e Boa semana

Pataininiti disse...

Obrigados a todos pelos vossos comentários a este poema que marcou a minha estreia neste maravilhoso blog. Beijos salgadinhos como o mar!

Tacitus disse...

Inspiradissimo poema, com rasgos de solidão e choros do coração...um boa semana e aquele abraço ;)

Lobaaaaaaaaaaaaaa disse...

Muito bonito...

Beijos.

igara disse...

Minha irmã, hoje fiquei contente de te encontar aqui, neste texto tão lindo, que me fes pensar demais. A solidão, quando chega, deixa em aberto a questão de saber se terminará.

Tu não choras por despeito,
Nem com medo de viver,
Aprendeste com a vida,
Que não há só alegria,
E que há momentos fulcrais,
Que também fazem sofrer!
E se mergulhas em mágoas,
Sentindo assim solidão,
Terás que tentar achar,
Novo querer em tua vida,
Dentro do teu coração.
Mas renasce para ti,
Não ligues á multidão,
Porque o sentir de todos,
Nunca nos particulariza
E acentua a Solidão.
E sabe que eu estou aqui,
Sempre pronta a dar-te a mão,
Pois sabes, que conquistaste,
Um lugar sempre cativo,
Dentro do meu coração!

Gosto de ti minha irmã virtual! Beijos mil (salgadinhos como tu gostas) e abracinhos apertados!

Pataininiti disse...

Ó minha irmã mailindadouniversoearredores, fizeste-me chorar. Beijos salgadinho como o mar, cheios de saudades tuas. Obrigada

Anónimo disse...

Best regards from NY! film editing schools