terça-feira, outubro 10, 2006

Feitiço


Se te tenho, não és meu...
Se te Amo, não to digo!
Se não falas, eu entendo,
Mas se falas, acredito!
Se me beijas, com sabor...
Sinto o gosto dos teus beijos!
Mas se me afagas apenas,
Compreendo os teus desejos!
Se me Embalas, eu repouso
Mas se Sonhas, eu desperto,
Se estás longe, mais te gosto...
Quando Distante, estás perto!
E a Magia não se entende,
Envolve, e sem dar por isso...
Todos os Sentires se tecem,
Com Encantos, de um Feitiço!

16 comentários:

Lobaaaaaaaaaaaaa disse...

Que intenso... que bonito.

Beijos mil em tu.

Pinochio disse...

Finalmente voltaste. Acredita que já estava a ficar preocupado E voltaste com um poema lindíssimo como de costume. Diria mesmo que desenhaste aqui o retrato fiel do amor verdadeiro. Daquele amor que não se apregoa, vive-se. É de facto muito bonito. Fico contente por teres voltado e no auge da tua forma. Estamos de parabéns, nós, porque estás sempre de parabéns pela pessoa que és e pelo talento que tens. Um beijinho manso e abracinho...à tua maneira.

Passo disse...

:) poema magico de encantar, serao almas gemeas?? ;)beijos

Coral disse...

Igara: lindo!!!

Dizer algo mais seria quebrar este estado de encantamento pelo texto...

Um beijo grande.

Coral disse...

(((( PS: se maomé não vai à montanha.... sua madrinha desnaturada!!! :P ))) ihihihihhi

KI disse...

Igara my dearest, my sweet:

Tu esfanika-te, faz os flips flaps que tu quiseres sejam encarpados ou não, esverdalha-te em voo magânimo, atira te em bungie jumping,pede ajuda a uma tropa especial (tipo comandos) mas assalta-me a pirâmide, ja não se aguenta o faraó em choro convulsivo... pleeeeeeeeeeeeeeaaaasssseeeeee... ele até já nem dá audiências, um drama!!

Agora o que verdadeiramente interessa: 'Se estás longe, mais te gosto...
Quando Distante, estás perto!'adorei esta frase, o poema é 6 estrelas (extravasa tudo, evidentemente!) mas não consigo alcançar ( na minha já pública limitação de apenas um tico e um teco...)como é possível gostar mais quando longe, se bom mesmo é pertinho, pertinho quase portátil!desconfio que é da pdi...

Assim como assim poeta não tem meta, tem é que atingir como uma seta...

Sinto me rendida às tuas palavras...

P.S.- vou por ti âs catacumbas com cucarachas e tudo, mas acalma-me o Faraó, ele está me a desconfigurar... S.O.S.

Pataininiti disse...

Que belo poema recheado de puro sentimento... Adorei minha irmã querida!

Não tenho tido muito tempo para passar por cá... mas venho ler-te sempre que posso.

Um beijinho apertadinho cheio de saudades, e claro... salgadinho como o Mar!!!

Maria disse...

Apaixonada e apaixonante. Linda esta tua declaração de amor.

Beijokas e continuação de boa semana

Anónimo disse...

Amo-te...És linda, nunca te esqueças!Beijos querida...

igara disse...

Bem, hoje, apetece-me responder ao anónimo, porque tem sido alguém de que eu tenho tentado manter alguma distância. A verdade, é que hoje...estou com falta de paciência, e estou a modos que entupida. Como eu entupida, não sou coisa bonita de se ver...cá vai!

Anónimo...as palavras, têm para mim, um valor, que supera por vezes os sentires. Amo-te, é uma palavra forte, que dita sem rosto, toma sentidos de vulgaridade. A facilidade com que dizes Amo-te, surpreende-me, e leva-me a pensar, se eventualmente não me baralhas. Não sou certamente quem tu amas, porque senão, terias a coragem necessária para mo dizeres, sem teres que te ocultar por trás de um anonimato que contrariamente ao que possas julgar, não me faz sentir rigorosamente nada, e só me faz olhar-te com descrédito.

Quanto ao Linda...a coisa necessita de um esclarecimento. Tudo o que sou é produto Meu...das minhas vivências, foi conquistado por mim, e é evidente, que não necessito que ninguém me lembre do que eu sou, porque tenho disso plena consciência. Ainda para mais, não será ninguém sem coragem, que me dirá o que eu sou, uma vez, porque quem não se assume, não tem credibilidade para me dizer o que eu sou ou deixo de ser! Não me esqueço que sou Linda, porque Sou, porque sou eu...e porque não preciso que mo digam. Dispenso os grilos da consciência...mas, se um dia precisar de algum, eu escolherei os meus “grilos”, de acordo com o que eles representarem na minha vida, e acredita, não te pedirei a ti, qualquer tipo de juízo.

Quanto ao Querida, pensei que estivéssemos esclarecidos, mas pelos vistos, não me devo ter feito entender...Vou tentar ser clara desta vez! DISPENSO os “querida”. As pessoas que se identificam, que dão a cara...que me conhecem, e por quem eu nutro carinho, podem chamar-me querida, porque essas pessoas, são aquelas a quem eu digo muitas vezes que gosto delas. Duvido que alguma vez to tenha dito, por isso agradeço a dispensa da expressão, que também ela não aquece nem arrefece!

Espero que tenha sido clara...porque hoje, o dia despertou com sinais de claridade. E é clareza que tinha que usar contigo!

Spartacus-primeiro disse...

Igara
É com agrado que aqui venho, ao teu cantinho, com regularidade.E gosto e volto.
Mas este "Feitiço" Igara é enorme. Do tamanho da alma, se é que a alma terá algum tamanho...
Fiquei...estou encantado...completamente "Com Encantos, de um Feitiço"

Essa Miuda disse...

Um poema muito bonito, Iga! Onde andas..? Entre papéis e baratas já não te vejo há meses... ihihihi. Beijinhos.

baraka disse...

parabens pelo poema...
ando aqui perdida e vim parar ao teu blog...
estados de espirito aproximam as almas...

Anónimo disse...

"Se..."
Alma sem norte,
Incerta no reflexo daqueles olhos..
Perdida na mediocridade,
No desleixo do "outro",
Esquece o seu "eu".
Para quê?
Se o mundo existe porque eu existo!!!

JP.
Templ

P.S. Olá, é bom ver que voltaste. Obrigado.

Pluma(princesavirtual) disse...

Lindissimo este peoma :) lindissimo mesmo.

Beijoss

crowe disse...

ai... esta minha editora editorial... assim não dás margem à concorrencia,vai ser um bestseller!
post scriptum- ainda não disse que tinha gostado pois não?! Mas tu percebeste não foi? ;)