terça-feira, fevereiro 27, 2007

Dias Dificeis


Há dias difíceis na vida de uma pessoa. Ooooh se os há, e decididamente, hoje é um dia difícil. Acordei, com um telefonema a meio da madrugada. Como é óbvio, acordar ás 3 da manhã com o toque do telefone é de pôr qualquer um com os cabelos em pé. Foi mesmo assim de cabelos no ar, que no meio da atrapalhação de sair do quarto entrei no roupeiro. Lembro-me vagamente de isto já me ter sucedido uma vez, e recordo que esse dia também foi difícil. Bem, depois de ter encontrado a porta do quarto, e enquanto ouvia o telefone, fiz um esforço sobre-humano, para tentar ficar calma. Assim que encontrei o aparelho, quem quer que fosse, desligou o telefone, deixando-me entregue a um misto, de fúria lancinante, e descanso furioso (como pedem ver…a fúria está lá... latente!). Arrastei-me até à sala pensado que quem telefonou ligaria de novo. Peguei no comando da televisão e fiz um mini zaping , saltando de canal em canal, qual sapo, em época de acasalamento. Confesso que já perto das 4h da manhã, estava bastante enjoada (não consigo entender, como se consegue fazer zaping por mais de 30 minutos), decidi então ir fazer um chá de Ervas. Entrei na cozinha sem me lembrar que havia iniciado as limpezas gerais, o que significa que lentamente a cozinha foi ficando cheia de coisas que em circunstâncias normais lá não estariam. Então comecei por tropeçar na enceradeira e seguiu-se, a uma velocidade vertiginosa, um banco de cozinha (que servia de apoio ao pano de pó e ao spray de limpeza), o balde (com esfregona e tudo) e a bacia (que eu insisto sempre em ter por perto em alturas de grandes limpezas, vá-se lá saber para quê!). A minha Sorte é que a cozinha é pequena, e que não deu para mais emoções. Para já estava no chão, finalmente em segurança. Tive vontade de me arrastar até à chaleira, mas pensei para com os meus botões:
- Nã….hoje, já não te vai acontecer mais nada! Já tens a tua dose…relaxa, respira fundo, conta até 10, don’t worry!
Fui à procura das saquetas do chá, pensei que o chá de Tília me traria alguma tranquilidade. Agora sim estava mesmo a ficar mal disposta, e não havia chá de Tília, contei de novo até 10, mas a contagem já não estava a resultar. Cerrei os dentes, disse umas 20 coisas (daquelas que não se dizem), pensei numas 50 iguais a essas, e olhei para as saquetas de chá com olhar de desafio. Estava já muito irada confesso. Estendi a mão e apanhei a primeira saqueta que me apareceu. Fiz um litro de chá e bebi descontroladamente umas goladas daquilo. Achei que começava a ficar calma, e fui bebericando, até acabar o resto do chá. Acompanhei com umas bolachinhas de água e sal, e por volta das 5 da manhã, estava capaz de me ir deitar. De repente, mas assim não sei bem de onde, começou uma dor de barriga que não parava, eu pensei que tinha comido alguma coisa que me tivesse feito mal, e passei revista a tudo o que comera, mas não consegui encontrar um bode suficientemente expiatório, para a minha dor de barriga. Foi então que me lembrei, que na minha última incursão ás prateleiras do super mercado, havia deparado com um chá laxativo, que achei interessante ter em casa, como mezinha de socorro, em caso de necessidade! Pois bem a minha mezinha estava a revelar-se um verdadeiro pesadelo. Como se tal não bastasse o meu marido, que tinha acordado com e telefone e depois com a minha queda monumental, não perdia uma oportunidade de resmungar ainda mais alto que os meus gemidos. Eu gemia e ele resmungava, um dueto perfeito! Quando o despertador tocou, eu estava mesmo capaz de ir dormir, mas não, insisti em dar continuidade a esta minha saga (devo ter em mim uma costela oculta Sadomasoquista), embrenhando-me à séria na arte dos pequenos-almoços e dos lanches dos meus filhos. Preparei a comida de toda a gente (mas eu recusava-me a comer), vesti os meus filhos, arrumei o computador do meu marido, preparei os livros para os meus filhos levarem para a escola, fui apanhar a roupa que tinha estendido, vesti-me, e dei comigo fora de casa, mas com as chaves da parte de dentro. Ou seja, eu estava na rua, mas as minhas chaves não! Aí sim…zanguei-me mesmo à séria! Senti as narinas a abrir e a fechar, senti a respiração descontrolada, e pior que tudo, não senti a mínima vontade de me controlar! Decidi ir a pé para o trabalho, mas ai de quem me perguntasse se eu estava boazinha…é que nem se atrevessem a perguntar-me nada! Foi então, que a deslocar-me quase á velocidade da Luz, cheguei ao meu trabalho. Assim que cheguei, a minha colega de trabalho mais gentil, perguntou-me com um sorriso esparramado na face:
- Estás boazinha?- então passei em revista os acontecimentos dessa madrugada, e esforcei-me por pensar que tudo podia ter corrido muito pior. A noticia do telefonema podia ter sido grave, podia ter tropeçado na enceradeira carregada de cera, podia ter baldeado o balde cheinho de água, podia ter abalroado ao bacia cheia de bugigangas, podia ter tomado um chá laxativo que fosse simultaneamente diurético...enfim....bem vistas as coisas nem foi má de todo!!! Enchi o peito com ar, e num suspiro, respondi-lhe:
-Sim Milúcia, está tudo bem!

15 comentários:

suspiros disse...

Ora a boa forma Portuguesa,podia ter sido pior:)a pessoa está toda partida e tal,mas está viva,logo teve muita sorte em não morrer:P
Mas sabes,gostei imenso de te ler,apesar de todas as tuas desgraças,conseguiste "brincar" com a situação:)deixo meu beijo e meu sorriso:)

Tacitus disse...

Adorei...tens imenso jeito para estes registos, onde deixas a tua astucia das palavras fluir, em prosa. Ai Milú, milú...boa semana e aquele abraço ;)

KI disse...

Querida Iga de mon coeur:

A culpa é tua... trouxe um copo de cola, fresco e dentro dum copo azul daqueles que gosto e tudo e tudo! Sentei-me relaxadamente na minha cadeira reclinável preta que se encaixa em mim (ou eu nela) como o caraças... estiquei as pernas e pensei: 'enfim descanso, que hoje não tou pa fazer mais nada...'saltitei até aqui, curti o som e saboreando as tuas palavras comecei a ler-te calmamente... um golo de cola, de repente chego à parte da enceradoura na cozinha, e confesso! cola a sair pelo nariz...não é das coisas mais agradáveis de se sentir!!na aflição, praguejei e o sacana do estropício do teclado sem fios (depois de um sopapo mal lançado na mesa) esverdalhou-se no chão qual lagarto ao Sol. Queria ler mais, peguei no rato e fiz scroll, e quanto mais scroll fazia, menos a porra da coisa andava, ou seja, o abrenúncio do rato óptico (sem fios tb... é o progresso!) não tinha pilhas! ddirigi-me à coisa carregadora de pilhas, tropecei no fio do auricular que ainda agarrado à minha própria orelha, esbracejava sem entender que queria eu! Lá me livrei da ceninha, corri a ir buscar as pilhas, coloquei no rato e here we go! O chá... bem, podia ter sido energizante e tínhamos uma Igara a ir para o trabalho qual Sputnick na Lua, menos mal... Valha-me São Cinfrónio, já te tava a ver a fazer a Milúcia (ai saudades...) tragar duma vez as omeletes e colas mais ogelado de rum (?) ( ou coisa que o valha) nada de mal... afinal o estômago não tem prateleiras...
Estou enjoada... cola pelo nariz dá nisto, só pode (não experimentem em casa!)mas penso que vou beber uma água com gás, não me vá enganar no chá...Comentário extenso? bem... como disse...a culpa é tua!

Um beijo esfíngico com estreptococus, estalaficocos, bacilos, fungos, amibas saltitantes e paramiscurnas a fazerem a onda...

Gosto de ti :)

Pinochio disse...

Pois é amiga, há dias de manhã, que uma pessoa de tarde não deve sair à noite. Que dia! Mereces um fim de semana prolongado. Um beijinho amigo

Passo disse...

ola miuda, gostei de te ler, ta tudo bem ctg? heheehehhe :s ha dias flodidos é bem verdade, mas ha outros bem melhores e é isso q verdadeiramente interessa :) bjokas

Vlad disse...

Pois é Igara... a infelicidade de uns pode bem ser a felicidade de outros, nomeadamente a minha que me "parti todo" a rir com esta história :))
E, como se não bastasse, ainda dei umas valentes gargalhadas com o comment da Ki :))
Bjs

pedro alex disse...

Nem sonhas as gargalhadas que "amandei".
Su... please... entrar por um roupeiro lol, sublime.
Não me quero rir com a tua peripécia nocturna, quase desgraça lol, mas que 31... valeu a pena:):):).
Bjs ainda a sorrir!!!

Coral disse...

Xiça Madrinha.. eu também tenho dias assim ...

Contigo foi de madrugada, mas, normalmente comigo é logo a começar o dia ... e depois só desejo a noite porque já sei que iniciando torto, torto será até deitar-me ...

Beijos e queijinhos frescos .... e claro "oh infinito delirio chamado desejoooooooooo""

Anónimo disse...

Ahahahahahahahahahah, só mesmo de ti igara. A mim só um dias destes que adormeci no sofá, e estava uma daquelas noites com tudo, desde chuva, vento e afins, e me enganei na porta e sai para a varanda as 3 da manha, brrrrrrrr, escusado será dizer que já nao dormi mais e as 6.30h da manha lá tava eu pronta pra ir trabalhar.
Bjs fofos

Pluma(princesavirtual) disse...

ahahahaha opa IGARA...não consigo parar de rir...que dia o tue :P

Beijos :)

bono_poetry disse...

precisava mesmo deste momento.....
grazie amiga pelo teu dia(noite)insolito...
he he he...cuidado nao te desloques para locais inospitos..beijos...hehe he..ate gaguejo a rir...

alexia disse...

Ok..realmente isto é o que chamo de dia atribulado mas confesso que não me surpreende:), há dias que começam enguiçados logo de madrugada. Agora tenho uma duvida...não te esforçaste para saber quem teve a audácia de te ligar a essa hora?:)))Juro-te que eu não descansava enquanto não descobrisse o/a autor(a) de tamanha barbaridade:))


beijinhos Su..ai espera...bjinhos Igara:)))))))))))

Spartacus-primeiro disse...

Igara
Que noite...

Real disse...

Há muito que nao ponho os olhos na tua escrita...
Tudo de bom,jinho.
Real

Maria disse...

Linda, hoje passei mesmo só para te desejar um Grande Dia...

Beijos mundiais.