quarta-feira, junho 06, 2007



Um dia, houve alguém, que deu vida, ás fadas mais lindas que alguma vez já li. Foi nesses textos que me cativou, e foi sempre neles, que eu fiz questão de o reter. Espero, que ele não se importe, de ver um conto dele no meu espaço, mas eu apenas me limitei a retirar do blog da Margarida, o conto que ele lhe tinha contado...


"As fadas não existem ... pelo menos é o que se diz (muitos contos de fadas começam assim). Mas, quer existam ou não, eu conheço uma. Uma fada à séria, com tudo o que uma fada deve ter. Não, não falo de varinhas mágicas, nem de chapéus em bico ou tiaras na cabeça (essas não existem mesmo). Falo naquilo que que só as fadas que existem têm: é pequenina e tem olhos verdes, é linda como uma alga do mar. Não daquelas algas castanhas e pesadas, que se afundam e misturam com a areia. Não. É como aquelas algas verdes, que flutuam e brincam com a espuma das ondas, e que nunca se afundam por mais fortes que estas sejam. E é tambem como a lua que, mesmo quando não se vê (porque é nova ou está atrás das nuvens), está sempre presente.Esta nossa fada (ou melhor, esta minha fada, pois fui eu que descobri que ela era fada) nem sempre foi fada. Primeiro foi gente, gente como nós, que vivia a sua vida como qualquer um: dormia, comia, trabalhava e divertia-se. Às vezes estava triste, outras vezes estava contente.Um dia a fada (que ainda não era fada) estava triste e sozinha. Tão triste e tão sozinha que foi até à praia (sempre gostou de praia, mesmo quando era gente, embora nunca tivesse tomado banho no mar), sentou-se nas rochas e chorou baixinho. Ela nem sabia bem porque chorava... talvez porque estivesse triste, talvez porque estivesse sozinha. E chorou aquilo que precisava.... Enquanto chorava, a maré subiu e veio uma onda. Ela, precipitadamente, levantou-se e..... escorregou e caiu à água salgada. Foi então que a fada, que até aí não era fada, começou a ser uma fada de verdade. Continuou pequenina como já era (as fadas boas são sempre pequeninas), os olhos ficaram ainda mais verdes, e o cheiro do mar e das algas passou a ser seu.Quando se levantou, molhada e cheia de areia, percebeu que algo tinha mudado em si. Olhou à volta e viu que a noite tinha caído. A lua lá estava, quarto crescente, no céu escuro, ao lado das estrelas. Fechou os olhos de mansinho e, como já era um bocadinho fada, sentou-se na lua e deixou-se levar pelo sonho. Quando os voltou a abrir (mais verdes e brilhantes do que nunca), estava de volta à praia mas agora, mesmo fada por inteiro, com a lua a abraçar-lhe os ombros e o mar e as algas a envolverem-lhe as pernas.A fada, agora que é mesmo fada, não deixou de chorar. Chora quando está triste, como qualquer outra fada (foi assim, por esta fada, que fiquei a saber que as fadas também choram). Mas já não chora quando está só ... porque nunca mais esteve sozinha na vida. Tem sempre a lua e o mar por companheiros.É esta a fada que eu conheço. Conhecer não é bem o termo, porque verdadeiramente nunca a vi. Mas sei que existe e que anda por aí, na companhia do mar e da lua, a espalhar o sonho por onde passa. Se um dia a encontrarem (como alguns a encontraram sem o saber), tratem-na bem... E enquanto a não encontram, continuem a sonhar ... é a melhor janela para que uma fada de verdade possa entrar nas vossas vidas.E quando vos disserem que as fadas não existem ... duvidem!"

Autor: fdarkeyes

15 comentários:

alexia disse...

Aiiiii (de suspiro)...que bem retirado:)
Igara...que tenhas um bom feriado e que as fadinhas nunca deixem de te rodear!

Beijo

Anónimo disse...

Se as fadas existissem... os maus já eram.
As crianças poderiam viver, respirar, correr, sem nada temer.
Os velhinhos, não estariam abandonados. As urgências no interior não fechavam.
Os partos não ocorreriam num qualquer semáforo do interior, ou numa qualquer margem de estrada, mas nas maternidades.
Se existissem fadas....

Templ.

luar perdido disse...

Fadas existem sempre nas nossas vidas, algumas boas outras más. As boas povoam-nos os sonhos, os desejos, as ânsias, as aceleradas batidas de coração... As más infernizam-nos a vida, mas na lua, no mar, no sol, nas estrelas só as fadas a sério habitam. Jamais percas a tua fada, minha amiga!
Mil beijos, não de fada mas de um raiozinho de luar.

Op.Louca disse...

Boa noite...Apesar de saber e ter numa caixinha fechada todos os textos que foram dedicados à A_FadaDaLua ( que sou eu ), achei bonito reler o texto num outro blog.
Embora já o tenha colocado num outro blog meu.....So não achei bonito colocar o nick da pessoa sem ordem ( refiro-me a mim.....daí não o ter colocado na altura. )

Para TiMeuDuende...Beijinho Carinhoso ;)

Para si menina desejo-lhe um optimo fim de semana : )

Beijinhos para si

amstist disse...

Adoro esses seres encantadores...donos de uns poderosos corações.
Espalham alegria e paz...Quem são as fadas?Somos todos nós quando caminhamos paralelos ao lado do bem.

Beijos na doce magia da Amizade.

igara disse...

Op.louca, gostei de a ver por cá. Eu também conheci todos os textos que foram dedicados às Fadas, e lhe garanto, que este não foi nem o 1º, nem o 2º nem o 3º blog a postar estas histórias.
Quanto a publicar com o nome do autor, o que eu não acho bonito, é que se faça o contrário. Gosto de dar o seu a seu dono, e não publicaria nada que não fosse meu, sem colocar a autoria. Pontos de vista diferentes....
De toda a forma, este conto foi retirado do blog da Margarida, onde o autor deixou claro quem é, não vejo a complicação do com e sem nome.
Mas, como para o efeito, o que interessa é o fim a que ele se destina, ficou-se a história, cumpriu-se o fim...e divagar para além disto, não é de todo algo em que eu tenha um grande interesse!

Para si, um beijinho também :)

Passo disse...

ja li isto em algum lado hehehe e na foi na margarida :P

Coral disse...

Madrinha, vim espreitar-te... o teu espaço é sempre um bâlsamo...

Um beijo grande e o grito cumplice "Ahhh infinito delirio chamado desejo " ))))

(( Mesmo depois de ter fechado o meu blog, ainda posso chamar-te madrinha??))

igara disse...

Coralinha afilhada mais linda... é claro que sim.. mas isso é lá pergunta? A nossa cumplicidade vai muito para além deste mundo dos blogs. Madrinha é quem quer bem e quem cuida, é assim e bem mais que te quero. Aliás quem melhor que tu para me cantares o "Oh infinito delirio chamado desejo"? Há coisas que se tornam exclusivas e eu tenho muito gosto em que sejas a minha afilhada, exclusiva!
Beijos muitos muitos muitos....

Coral disse...

)))) tu és um must !!!! Madrinha ... )))

Já ouviste o novo álbum da Bethânia? é sobre o mar e os poemas do mar da Sophia de Mello Breyner... delicioso ...

Posso mandar-te um dos poemas queres?

igara disse...

Coralinha, claro que quero...aliás, podes enviar, para eu postar aqui um dos poemas para a Margarida!!! Beijos milzinhos!!!! :)

Passo disse...

hum .. adoro ser ignorado :P bjs ó dona igara :P

Gui disse...

Claro que as fadas existem. Que ninguém se atreva a negá-lo perto de mim. Igara vai ao meu blog tens lá um miminho para ti. Tira o sêlo e coloca-o aqui, é merecidissimo.

Um beijo grande

igara disse...

passinho... bolas, eu não me lembro de ter mudado de cor ao cabelo... mas, ignorar-te? cum catano! nada disso!!! Mas, não me leves a mal. Sabes que eu só costumo comentar comentários quando acho de todo necessário. Ficam as desculpas... e toma lá um beijo e um abracinho! :)

Whateveradois disse...

Não fazia ideia que os poemas das fadas do Fdark eram para a Op Louca. Já os conhecia e foi bom recordar. É evidente que não posso passar sem deixar de dizer que a minha prima esteve muito bem ao colocar o nome do autor. Ela não quer ser acusada de plágio. Beijinhos, Prima!