quarta-feira, junho 07, 2006

Adeus!


Adeus!
Parte agora,
Não fiques parado em mim,
Leva mansos,
Sussurrados,
Os Beijos que foram dados,
Lembranças boas,
Sem fim!

Adeus!
Parte convicto,
Sem sentir hesitação,
Leva sonhos,
Partilhados,
Os Abraços embalados,
Pelo Sentir,
Do coração!

Adeus!
Parte em Silêncio,
Não me leves na memória,
Leva apenas,
As Palavras
Que entre nós foram trocadas,
Para pintar,
A tua História!

15 comentários:

pataininiti disse...

Oh minha mana mailindadomundo!!! Como eu te amo! Adoro o que escreves! O sentir da alma, o amar de coração, o prazer de viver! Até no Adeus a alma está presente. Só podias ser minha irmã pá! Beijosssssssssssssssss

Maria disse...

Alma de poeta ou alma de alguém apaixonado?! Porque só quem ama é que consegue escrever assim....

Lindo...

Anónimo disse...

Que grande forma de amar e sentir a tua que nos contagia o coraçao e nos faz sentir tao plenos.
jinho, real.

homem de negro disse...

Não sei porquê, mas depois de uns zunzuns que ouvi por aí, este poema parece-me a despedida de alguém muito importante para ti. Lindo o poema mas triste, o adeus é sempre triste... Espero que não seja sobre quem ouvi...
Quando voltares, logo falaremos, se assim o entenderes...
Entretanto, beijo em tu, a gente vê-se por aí...

Tulipa Negra disse...

Minha boa amiga, quero antes de mais pedir desculpa pela ausência de alguns dias, motivada por problemas de acesso à Net. Insuficiência de sinal, diz a Netcabo. Pensava que era só eu...retorqui eu. Bem paródia à parte quero dizer-te que mais uma vez fiquei deleitado com o teu poema. É uma despedida? Sem dúvida nenhuma! As despedidas são sempre tristes? Não são. O final de uma relação ou de um amor terá sempre que deixar marcas negativas? Claro que não. Tu, no teu poema, dás a receita para que uma despedida, longe de ser um final, possa ser um início. O início de uma recordação indelével de muitos momentos sublimes, que poderão ser um farol que iluminará muitos momentos mais cinzentos que o futuro não deixará de trazer consigo. O clarão desse farol que fará desfilar na memória, e no coração, o brilho radiosso dos momentos passados ajudará certamente a ultrapassar com mais confiança as neblinas futuras. Cá estou eu a falar de neblinas,ou não fosse eu um filho dos nevoeiros das neblinas do Monte da Lua. Um beijinho imenso carregado de amizade sincera. Ah! Espero a tua contribuição para o conto. Aquilo agora baralhou-se um bocado com o próximo capítulo que postarei amanhã.

Coral disse...

Isto de estar ausente por uns dias deixou-me (como sempre e sem grandes novidades) à deriva...
Querida Igara, os teus textos, ainda que enformados por emoções nostálgicas, são sempre intensos...
Se, de facto, a perda ou o adeus é real ainda assim acredito na tua força para superar estes lados lunares da vida...
Sabes onde estou e fica na certeza de que te quero muito bem.
Um beijo grande desta afilhada que voltou às lides ...
E, como não podia deixar de ser,:
"Ahhhhhhhhhh infinito delirioooooooo chamado desejoooooooooooooooooo"

RB disse...

Os poemas são teus pelo que pude perceber. Lindos, sem dúvida!!!
Bom fim de semana
RB

Lu.a disse...

olá! É a 1ª vez que venho espreitar ao teu blog e estou deliciada!Os poemas são teus?
Parabéns, são lindos! :)

igara disse...

Minha mana, que saudadinhas...
Sabes que o trabalho tem-me obrigado a ausentar deste mundo virtual. Penso em ti muito...com muitas saudades. Mil beijinhos, grandes grandes, como o teu Mar. :)

igara disse...

Pinochio meu amigo...senti a tua falta, pensei muitas vezes em mandar-te um email, mas a falta de tempo tem sido algo que não tem jogado muito a mau favor.

As despedidas, podem mesmo ser doces. O final nem sempre chega rodeado de amarguras e de dor. Basta que tiremos das vivências as coisas boas, sem que o coração teime em ficar preso a ressentimentos e a sentires de dor. Um beijo meu amigo...e abracinhos grandes!

Rats disse...

Oi Igara, e k tal 'levares as palavras' até ao Piramidallis??
Gosto de te ver por lá

Beijinhos repenicados

Coral disse...

Madrinha.... onde andassssssssssssssssssssssssssssss??????!!!
((( desesperadamente à procura do bote, das barbatanas, do verylight, das bóias, da garrafa de oxigénio... ))

Noite disse...

A magia reside efectivamanete nas palavras trocadas, que ecoarão para sempre na alma de quem a recebeu, e no coração de quem as construiu.

alexiaa disse...

Acho (e só acho) que as despedidas serenas são proprias duma maturidade que nem sempre queremos assumir! As vezes resistimos em dizer adeus...
Uma boa semana!

Vlad disse...

al como diz a Maria, só qem ama consegue escrever assim... e acrescentaria só um amor maior (se calhar diferente mas mais importante)nos faz abdicar (dizer adeus) de outro amor ...
bjnhs