quarta-feira, junho 14, 2006

As tuas Histórias, Margarida!

Hoje vou falar-vos da Margarida. Há cerca de um ano atrás, em Junho, encontrei a Margarida, neste mundo virtual, feito de palavras, feito de encantos. Encontrei-a pelas mãos da sua mãe, que decidiu dedicar-lhe todas as histórias do Mundo, e outras que ainda não existissem. Nessa data, a Margarida já não se encontrava entre nós, tinha partido há um ano, e a mãe Lochnessbeuty, achou que esta seria uma forma de imortalizar a sua Margarida criando um espacinho terno e cheio de carinho onde lhe contaria histórias. Foi um dos espaços mais belos que frequentei, porque o Amor era evidente em cada conto, em cada comentário, em cada traço.

Hoje, por ser Junho, e porque a Margarida, sem que eu desse conta se instalou nas minhas memórias, relembro-a aqui, e deixo-lhe um poema, feito para ela, na altura em que ainda lhe contávamos contos. Jamais deixei de pensar nela e na sua mãe, que por ser tão bela, me marcou os meus sentires para sempre!

Para a Margarida

Gosto de ti Margarida,
Não me perguntes porquê,
Nunca julguei ser possível,
Gostar de quem não se vê!

Mas não tento encontrar,
Neste afecto explicação,
Pois são desígnios da Alma,
Sentidos no Coração.

E o meu coração me diz,
Que algures no céu sem fim,
Existe uma estrela linda,
Que brilha apenas para ti!

Nós por cá vamos contando
Histórias para tu ouvires,
Contadas pela tua Mãe,
E quem sabe, até sorrires!!

E a tua Mãe, é tão linda,
Das mais lindas que conheço!
Pois de te Amar desta forma,
Tem o meu afecto e apreço.

E sinto-me bem aqui,
Pois perto de tanto Amor,
É fácil esquecer as mágoas
Que nos podem causar dor!

E por isso virei sempre,
(Sem história de momento),
Dizer de forma sentida,
Que estás no meu pensamento!

6 comentários:

Pinochio disse...

Minha amiga, há sempre uma emoçaõ nova no teu blog. Há sempre um pensamento lindo, um sentimento nobre, um acto de solidariedade. Como é bom vir aqui, para carregar a nossa alma com energias positivas. E chorar um pouco, porque não? Quando eu contar uma história às minhas netas, não me vou esquecer de chamar a Margarida para junto de nós para ouvir também, e para lhe dar também um beijinho antes de adormecer. Igara minha amiga, já são tantas as vezes que me faziste aperceber-me da minha fragilidade emocional. Mas será que é mesmo fragilidade? Quem disse que os homens nunca choram? Um beijinho muito grande para ti, para a Margarida, e para essa grande mulher também, que deve ser a mãe da Margarida.

Tacitus disse...

Bonita evocação, sentida e plena de magia...obrigada pelo momento. Bom resto de semana

Pataininiti disse...

É verdade, a Margarida... Ainda a visitei por uns tempos! Aquela mãe era fascinante. Um beijo enorme Margarida, onde quer que estejas espero que sintas o embalar das histórias do mar e das estrelas!
E a ti minha irmã, um beijo do tamanho dos oceanos, és um doce!

Anónimo disse...

Que mae nao ama seus filhos?Nós que somos maes e ainda os temos fisicamente junto de nós nao imaginamos a dor desta mae.O meu bem haja a um ser de coragem que enfrenta o dia á dia com tamanha dor.E para a Margarida muita luz e paz, sei que esta num melhor sitio que este.Um beijo enorme de solidariedade para esta mae e que continue com suas historias cheias de amor.
Real

Noite disse...

Margarida é nome de flor, e que a mim me diz particularmente..

Maria disse...

É estranho este amar quem não se conhece... a quem não é dada a oportunidade de viver e ser feliz...

Este tema traz à tona algumas das minhas mais profundas memórias. Estou com aquele nó na graganta...
Lindo.
Beijos.