terça-feira, janeiro 23, 2007

“Dança para mim”, pedias tu...
E então eu gargalhava,
Desfazia as minhas tranças,
E o longo cabelo soltava...

Ensaiava passo a passo
No meu corpo de menina,
Sem te perder no meu espaço
Num sentir de bailarina...

Entregava-te sorrisos,
Rodopiava depois...
Pensava nada existir,
Para além de nós os dois...

E por fim quando cansada,
Me detinha nos meus passos,
Sabia contar depois,
Com o conforto dos teus braços!

Saudades, das minhas danças,
De quando era pequenina,
Quando dizias sorrindo:
“Meu Deus, como estás linda!”

4 comentários:

Amstist1 disse...

Que lindo poema...
È tão bons recordar momentos como este.
Emoções que nos fazem sentir vivas.
Volta a dançar e a redopiar...

Beijos na doce magia da Amizade.

Vlad disse...

Que saudades mesmo ;)
Bjnhs

luar perdido disse...

Que leveza! é tão bom voltar aos tempos de menina em que tudo nos aninhava e confortava...Fizeste-me sonhar minha querida! Obrigada, também eu já tive alma e corpo de bailarina, exprimia o meu sentir pela dança....Ai, ai...
Beijos de meigo luar, minha doce Igara

Pinochio disse...

Igara, minha amiga, eu já só sei repetir-me, mas estou cada vez mais fascinado com a tua poesia. A simplicidade e a leveza, como diz Luar Perdido,não impedem que encerre nela um profundo sentimento. Neste dia, em que fico um ano mais velho, soube-me muito bem ler este teu poema. Igara, tive saudades tuas. Um beijinho