segunda-feira, janeiro 08, 2007

Quebram-se...


Quebram-se os espelhos na minha Alma...
Tarda já a Noite que me acalma!
Olho o céu em busca de me ver,
Tento nele razões para me entender
Mas nas estrelas, já não vejo reflectidas,
As imagens que dantes eram minhas.
Deixo-me vagar apenas sem destino,
Cumprindo cada passo em meu caminho!
Depois saio de mim e danço!
Liberto a Alma e Balanço
E em cada momento que passo,
Rodopio e entrelaço,
O meu ser neste compasso!
Nesta Dança em que me dou,
Feita de Partilhas e Esperanças...
Ninguém saberá tudo o que sou
Parto, Quebrando então,
Voos, Sonhos de asas mansas!

9 comentários:

sempreteu disse...

Quase te posso sentir, a musica, o poema! Caminhos de Vida Esperançada mas porém tão partilhada! Gostava de ver a dança em que te envolves e sentir os passos onde ladeias entre tudo o que queres e que receias. Mas decido nada ver e apenas sinto, este Sentir de que fazes palavras, onde te invento!

Pataininiti disse...

A imagem de às vezes Ser e outras não Ser ou Dar e não Dar, acontece-nos a todos... Quantas vezes em nossas vidas a partilha não é total e muitos não sabem o que somos na verdade! E então partimos...Adorei mana, e o sentimento que este poema desperta ao som desta musica maravilhosa é arrepiante! Beijos imensos.. salgadinhos como a Àgua do Mar!

Pinochio disse...

Curiosos este poema. Inicia-se triste e pessimista para depois cantar a liberdade e leveza da alma, perecisamente como resultado dessa tristeza e desse pessimismo. Parece contraditório, mas eu posso testemenhar que não é. O que tu cantas aqui, minha boa amiga, é uma realidade inquestionável, muitas vezes ganhamos asas e força para voar depois de um desencanto ou de uma desilusão. Basta só ter vontade e força moral para o fazer. Lindo como sempre. Forte como a autora. Um beijinho Igara.

Tacitus disse...

Hoje não me apetece divagar. Apenas dizer que aprecio a tua boa disposição e respectivas conjunturas diluvianas. Bom resto de semana ;)

Devir disse...

Wow! Gostei. Muito bom.
Voltarei, por certo.

herculano da costa disse...

olha olá pois e tal ahhh arggg já vi k há aki mts poetas por isso é k cm não me conheces num sabes k eu nc tive jeito pra poesia e fiko assim meio de bobeira spr k tento juntar duas palavritas mesmo xoxas e depois sabes? tb axo k muitas pexoas vêm aki deixar coisinhas tão bem feitinhas k eu digo assim cá pra mim é pá nem penses em fazer o mesmo k ficas mal visto!... e então axei k podia ir buscar uma musiquinha k gosto muito e deixá-la aki pa ti e dizer-te k podes ir ouvi-la e lembrar-te k fui eu k a pus aki só pra ti tá bem assim?

xi-coração
herc

"Um dia de domingo"
Marina Elali


Eu preciso te falar
Te encontrar de qualquer jeito
Pra sentar e conversar
Depois andar de encontro ao vento
Eu preciso respirar
O mesmo ar que te rodeia
E na pele quero ter o mesmo sol que te bronzeia
Eu preciso te tocar e outra vez te ver sorrindo
Te encontrar num sonho lindo
Já não dá mais pra viver
Um sentimento sem sentido
Eu preciso descobrir a emoção de estar contigo
Ver o sol amanhecer e ver a vida acontecer
Como um dia de domingo
Faz de conta que ainda é cedo
Tudo vai ficar por conta da emoção
Faz de conta que ainda é cedo
E deixar falar a voz do coração

Amstist1 disse...

Lindo texto...
Que te posso dizer são umas simples palavras...Dança,redopia e voa...Assim sentirás sempre a tua alma livre.

BEijos na doce magia da Amizade.

pedro alex disse...

"Ninguém saberá tudo o que sou".
Talvez Igara, no entanto se continuares transparente poderei imaginar tudo o que és, seria difícil não o tentar:)
Bj

luar perdido disse...

Igara, minha asa solta de poesia imensa! Balança, e dança, e solta-te, eleva-te nos ares qual ave sem rumo e SÊ, apenas e só uma Alma que se escreve em sentimentos e partilhas. Gostei imenso.
Beijo manso doce,como as tusa asas