quarta-feira, abril 12, 2006

As Estrelas (parte II)

Torna-se, de certa forma, importante falar-vos do ciclo de vida das estrelas … E porque será? Porque, como tudo na vida, as estrelas também têm um princípio, um meio e um fim … Mas não só! … Assim podemos entender porque os nossos sentimentos, ao longo do tempo, se vão fortalecendo ou desmoronando …
Há quatro momentos na vida das estrelas … Melhor, cinco … Sim, que elas desenvolvem-se da mesma maneira que nós, os humanos …. Primeiro temos a gestação, onde duas estrelas amantes se elevam, no espaço imenso que as acasala, para dar à luz uma ou várias estrelinhas … o momento é tão intenso que o seu fulgor ofusca … é neste instante que concebemos sentimentos genuínos e esperançados …
As estrelinhas anseiam, a todo o momento, conhecer os seus pais e o espaço que os enlaça e dá-se o nascimento, rebentando o momento mais grandioso e brilhante do ciclo … os nossos sentimentos brotam para o exterior, como um sinal cintilante de um céu que aos poucos vamos edificando …
E o crescimento das estrelinhas, como será? … aprecio, particularmente, este momento… resplandecem as estrelas no espaço celeste, no auge da sua energia … do seu fôlego …. criação de saberes e experiências … aqui conseguimos ser tão ingénuos que o que é imperfeito jamais é imperfeito e o perfeito sempre será perfeito …
Desenvolvem-se as estrelinhas que sucedem, sem o planear, a estrelas … a sua luminosidade é menos activa … os nossos sentimentos maduram, de tal forma, que perdemos a capacidade de idealizar … estrelas já adultas, sentimentos fortalecidos …
E claro, como o brilho que as estrelas desferem, o seu destino é a finalização de uma vida de maior ou menor clareza … pode ser o desmoronar dos sentimentos alimentados … e este momento deve ser sentido com lágrimas derramadas pelo imenso céu … como uma CHUVA de ESTRELAS!
Autora: IDADE_DA_LOBA

19 comentários:

homem de negro disse...

Só um hello...
A gente Vê-se por aí...

Lobaaaaaa disse...

Igarita, tu tens de me desculpar mas vou agradecer, um a um, os comentários que possam surgir a este texto...
Homem de Luto... O hello era para quem? A gente ve-se mesmo? Ehehehe
Podias ter sido mais concreto e ter feito um comentário ao texto, ora bolas (ehehehehe). Um beijo para ti e tira esse luto que te carrega imenso :-)

Coral disse...

.... e na singelza que sempre me caracterizou: é muito bom vir aqui. A ternura dos textos, a intensidade das emoções, a partilha de sentires. Enfim, gosto desta "casa". Beijosss e queijossss

marisa disse...

Então é pra comentar! Pois bem, um texto eu diria, muito cor-de-rosa, apaixonado porque não, sobretudo sensível, as mpequenas coisas que são as mais belas da vida! Baci loba!

palavradehonra disse...

Lobaaaaaaaaa... Em primeiro lugar um beijo... Agora o meu "coment"... Adorei a maneira como deste a continuidade ao assunto proposto pelo man, comparando a evolução das estrelas à nossa propria evolução sentimental... Foi um misto cientifico-sentimental... As estrelas são um fenómeno espectacular, desde o seu inicio até ao seu fim... Começam com um enorme BANG!!! (se bem que no espeço não há som) e com outro enorme Bang!!! terminam a sua existência... Fascinante! (até parece que estou a ver aquele programa que dava antigamente sobre o espaço, comentado por um sr. de nome David qualquer coisa)... Como disse ao man, sempre que olhar para uma estrela lembrar-me-ei destes vossos textos e das realidades por eles faladas...

igara disse...

Loba, já te disse o quanto gostei do teu texto. Gostava de ter comentado assim que te postei, mas ontem estava num bad mood, e tive que ir embora cedo. Hoje, já mais calma e sem enxaquecas acho que é o momento para te comentar. Adorei a forma como comparaste o nascer das estrelas ao desenvolver dos sentimentos humanos. Uma visão apaixonada, que me agrada deveras. Um beijo manso Lobinha

Lobaaaaaaaaa disse...

Coralita, oláaaaaaaaaaaaa e um beijo :)

Marisa, não é um texto apaixonada pois eu de romantica tenho pouco ou nada, é algo que teve que surgir no momento... Um beijo suave

Palavrinha, penso o mesmo que tu... o Man conseguiu atar-me as mãos e eu reagi desta maneira a algo tão sensivel... com o meu sempre lado terra-a-terra...eheheh... Beijos mil em tu

Igarita, obrigada pelo convite e pela publicação... também adorei ter participado neste desafio... Beijos aos montes e montanhas

Vlad disse...

Gostei bastante das analogias ;)
As estrelas podem até ser cadentes, mas nunca são decadentes...tudo o que fazem é com intensidade...que é o que também define uma "estrela" p mim ;)
Bjnhs

Lobaaaaaaaa disse...

Vlad... as estrelas podem ser o que a tua imaginação te ditar... Obrigada pelo teu comentário :-) e deixo-te um beijo.

lex-luthor disse...

ai lobinha até fiquei sem palavras...que coisa linda a comparação das estrelas com os sentimentos. jinhos

Pinochio disse...

Afinal não foram só os filósofos a serem poetas, a Loba também o é, ( poetisa, claro),e contou-nos uma história muito bonita. Fez descer as estrêlas até nós, a amaram-se, a beijarem-se, a fazerem coisa boas,e a terem meninos, isto é, outras estrelinhas. A imaginação dos poetas é fértil, é fantástica, é sublime. Como eu gostaria de ser como eles, de saber explicar assim as minhas fantasias, os meus sonhos, os meus sentimentos. Mas não sou capaz, porque não sou poeta. Ao escrever estas palavras estou a recordar um filme ue vi há dias, (lindo!), " O Tigre e a Neve". O poeta diz que apenas descobriu o poeta que havia em si quando um dia um passarinho pousou no seu ombro e ficou ali algum tempo a cantar. Entusiasmado, quando chegou a casa contou à mãe, todo alvoroçado, aquilo que lhe acontecera. Como resposta a mãe mandou-o ir jantar. Concluiu ele que se a mãe não o entendeu foi porque ele não encontrou as palavras certas para descrever o que lhe ia na alma. Decidiu naquele dia que passaria a procurar sempre as palavras e xepressões adequadas para descrever o que esntia. Acabara de nascer o poeta. Parabéns Loba, tu és também uma poetisa.

jussi disse...

Eu,abaixo assinado,só estou a comentar pq a isso fui e passo a enumerar: aliciado,instigado,ameaçado,"convidado",coagido,entre mais situaçoes...
Devo dizer que tendo a segunda classe das antigas e nao estando por isso habituado a ler textos desta natureza,grandeza e qualidade e tendo avisado a autora para tudo isso,ela limitou-se a dizer que e passo a citar: "mas ó minha besta,quem é que quer que leias,tens é de comentar",fim de citaçao....
Sendo assim e vendo-me nesta situaçao constrangedora,que poucas saidas me deixa,resolvo-me entao a comentar...
Ora cá vai.... as Estrelas sao objectos ( se bem que chamar objecto a uma coisa daquelas tb nao e parece bem) inanimados... ou inamimados,ou o que quiserem... de modos que na perspectiva cientifica,este texto... enfim... é um poema... vamos à parte psicossomaica da filologia da contextualidade obtrusa da psique da autora... bom... é obvio que a autora sonha ou sonhava um dia em cantar no " chuva de estrelas"... mas isso é de caras... tb nao é crime,é apenas mau gosto... mas nós todos podemos viver com isso... ( os gajos da chuva de estrelas,tb)
Agora e pq isto sendo um comentário coagido nao te por isso de deixar de ser um comentário cronstructivo e sério... vou comentar a parte poética... bom... por acaso gostei da analogia entre as estrelas e o ser humano... nada de original,pq é um tema recorrente,mas fica sempre bem recordar... de facto há qualquer coisa nas estrelas e nao é só aquela cena de crianças,nos pormos a olhar para elas e a pensar sei lá o que ( eu já nao me lembro do que pensava...lol) mas é de facto como que de um portal para alguma coisa... estao lá e no entanto nao estao... nao estao mas fazem chagar o seu brilho até nós... observam-nos e quiçá... aconselham-nos quando recorremos a elas... e quem em miudo num carro em movimento nao julgou que as acompanhava ao mesmo tempo? ou melhor,isso era a Lua...lol bom,nao interessa... agora vou voltar ao blog... despeço-me e força Loba... continua... diz-me é da proxima vez,para nao vir ao sapo...lol contratriado e abaixo assinado: jussi

jussi disse...

Epá,reparei agora nos erros... a culpa claro está é do tecldo... lá está... teclado...lol

Lobaaaaaaaaa disse...

Lex, obrigada por teres vindo 'ler-me' e por teres deixado o teu comentário... Um beijo para ti.

Pinochio quem me dera ser e ter a sensibilidade de uma poetisa... quem me dera ser mais emotiva... quem me dera ser mais... sei lá... mas a razão tem coisas que não deixa a emoção viver (comigo é assim)... Gostei da história do filme que viste recentemente... Um beijo meigo.

Jussi... duas coisas... Está calado e cala-te! ahahaahahahahahhahahaahahahahahahahhaahahhahahahahahahahahahahahahahaha... Ganda cromo tu me saiste... Amanhã escrevo um comentário à tua altura (espero que não sejas rodas-baixas) que agora estou cheia de sonooo ...

Lobaaaaaaaa disse...

Jussi, um comentário à tua altura....cá vai!
Beijossssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss 100000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000 em Tuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

Crowe disse...

GIRO... Ai Lobita a faceta escondida...Está delicioso este teu texto! Derreti... Beijos! Igara,bela selecção....Oh lobita acho que já percebeeste que eu Lobeddddddddddddddddd it

Lobaaaaaaaaaaaaa disse...

Crowe, Gira(ça)... obrigada pelo animo...mas ainda tenho muito que aprender... Um beijo doce em ti.

jussi disse...

Eu confesso que li o artigo da Loba,assim muito à pressa,mas relendo as criticas favoráveis,vou reler,agora com mais atençao...
Mas claro... continuo a pensar que gostavas de um dia ir aquele concurso do chuva de estrelas...lol

Lobaaaaaaaaaaaa disse...

Jussi... nem te conto... já ganhei, até! Beijos e um pontapé... eheheeheh