quinta-feira, abril 20, 2006

Desculpa

Cada passo que eu desse em teu caminho,
Alvitraria uma esperança fugidia,
Remeteria a Dor dentro do peito,
Lançaria apenas laivos de Alegria.
Onde o Céu alcança a Alva Estrela,
Serei sempre eu, que por ti zela!

Cuidava que fosse diferente o meu sentir,
Ambicionava dar-te mais do que podia,
Retomando os sonhos que me deste,
Laudanizaria a dor que em mim havia.
Obstante este meu querer, não consegui,
Semeei apenas a Dor dentro de ti!

11 comentários:

Pinochio disse...

É impossível comandar os sentimentos. São eles que nos conduzem e não o contrário, por isso nem sempre seguem os caminhos que lhes preparámos e que idealizámos para eles. Também é verdade que, por vezes, queremos tanto fazer os outros felizes, que no final, embora involuntáriamente, só conseguimos fazê-los sofrer, precisamente porque nós nunca detivemos o comando.Mas nem tudo se perde. De todas as experiências da nossa vida, há que guardar com muito carinho os momentos bonitos e doces, e recordar, com serenidade e sem ressentimentos, os momentos menos felizes, para que nos sirvam de lição para o futuro. Mas por muito incontroláveis que sejam os nossos sentimentos há um que nós conseguiremos sempre salvar se quisemos: A AMIZADE. Esta não precisa de ser comandada ou controlada, apenas necessita de ser adubada e regada. Se o fizermos colheremos a mais bonita flor que possamos imaginar. Um beijo doce minha amiga.

Vlad disse...

Muito bem conseguido este poema... transpira a intensidade dos sentimentos de quem escreve sem deixar de ter uma escrita cuidada e bela...aliar a beleza dos sentimentos (intensidade) à beleza das palavrs só pode resultar em arte ;)
Bjnhs

Passo disse...

casa nova hum?? e sozinha? irei passando p aki sempre q me lembrar de ti :) beijos

marisa disse...

Mais uma vez... aterrador! É incrível a tua sensibilidade, em tão poucas palavras tanto sentimento, cada vez melhor. Beijo grande Igarita!

Coral disse...

Na senda das palavras do Pinochio (acho que ele não se importará..))
Uma vez li num livro que "somos responsáveis pelas pessoas de quem nos dizemos amigos" ... E é verdade, a amizade esmorece se não for presenteada com pequenos gestos que se tornam grandes ...
Um beijo grande Igarita Madrinha, e para quê dizer evidências?? O teu blog é acolhedor...

pérola negra disse...

Uma só palavra....EXCELENTE!

Beijo

Pluma(princesavirtual) disse...

Gostei destas desculpas :) beijo igara

Anónimo disse...

A vida é mesmo assim...uma Aprendizagem constante.
Tudo é eterno até terminar!
E...ser optimista é vermos o lado bom de tudo isso, trata-se da nossa evolução natural.
Tb se aprende com a dor...
Bridiara :S

Carlos disse...

Saturno veio colher as romãs

brasas no pomar

Vivo nua pela casa

leio cartas, fecho as portas

Saturno me espia pelas frestas

me sussura nomes feios

vivo cheia de varais

lampiões e pássaros acessos

Parece que estou esticada entre dois abismos

entre dois homens

entre dois vendavais

Abro a janela

encaro o deus

me vejo nos seus olhos

me vejo dentro dele

Quando é que esses olhos irão

Anónimo disse...

Gostei muito deste poema Igarinha... embora tenha um gosto final a desencanto, está muito sentido! Um beijinho grande.

Essa_Miúda (não me apetece registar, lololl)

Alyne disse...

"perfeito"
lindo poema,parabéns!