quarta-feira, maio 03, 2006

Era Uma Vez (Uma História de Amor)

Hoje, decidi partilhar convosco, uma história, a primeira história feita pelo meu filho mais velho. É já a terceira vez que a publico nestas lides dos blogs, mas não resito em fazê-lo mais uma vez.




Era uma vez o Mar! O Mar era tão grande que achava poder tocar o Céu. Todos os dias ele tentava, a todo o custo, mas as marés, cada vez mais fortes, acabavam por desistir. Aquele desejo de tocar o Céu transformou-se em Amor. Era um Amor maior que qualquer maré, maior que o próprio Mar. O Céu começava a desejar tocar o Mar, mas os ventos e as marés não foram feitos para se tocarem. Foi então que o Horizonte, cansado de tanto desencontro, decidiu falar para acalmar Céu e Mar:
-Eu sou o Horizonte, e quem a través de mim olhar, não saberá distinguir onde termina o Mar e começa o Céu. É através de mim, e porque assim tanto o querem, que irão permanecer juntos, de forma tão infinita, como eu o Horizonte o Sou.
"É por isso que eu sei, quando olho para o Mar, que apesar da distância que o separa do Céu, eles se encontram sempre no Horizonte!"
Autor: Diogo, Janeiro de 2003 (6 anos)

10 comentários:

homem de negro disse...

terno, muito terno minha cara igarita. Feliz de quem filhos destes tem...
Um grande abraço, a gente vê-se por aí...

Coral disse...

Igarita... parece que a tua sensibilidade de imortalizou no teu filho, que seguramente terá filhos a quem passará o dom...
A ternura é o laço que jamais nos agrilhoa mas que indefectivelmente nos prende...
Um beijo grande para o teu Diogo e outro para ti (mereces este filhote)...

Tacitus disse...

Bem, impressionante criatividade para uma criança de 6 anos...muito bonito mesmo...um beijo para ti e para a tua terna "pipoca"...

Anónimo disse...

A magia em letras...

Vlad disse...

O que apetece dizer é : Bendita mãe ... ;)
Bjnhs

Anónimo disse...

Igara!!!
que lindo !
Parabéns ao Diogo e à Mãe dele.
bjinhos pros dois :))
Brida

Pinochio disse...

Creio que já tinha lido, e comentado este bonito texto do teu primogénito. Como já tive ocasião de afirmar noutras ocasiões, ele herdou da mãe, pelo menos, o talento e sensibilidade. Um beijo para ele e para a feliz mamã.

Dolce-Fare-Niente disse...

querido Diogo dos olhos grandes a quererem abarcar o mundo inteiro...a sonhar, a sentir que o longe e o perto são como o amor...um dia encontrar-se-ão num só!....meu querido, é lindo o que escreves, porque é lindo o que trazes no teu coração. Tenho um enorme orgulho em ti, sabias? Beijinho muito, muito grande...

Rats disse...

Para que serve o horizonte?
Certa vez alguém chegou no céu e pediu pra falar com Deus porque, segundo o seu ponto de vista, havia uma coisa na criação que não tinha nenhum sentido...
Deus o atendeu de imediato, curioso por saber qual era a falha que havia na Criação.
- Senhor Deus, sua criação é muito bonita, muito funcional, cada coisa tem sua razãode ser...mas no meu ponto de vista, tem uma coisa que não serve para nada - disse aquela pessoa para Deus.
- E que coisa é essa que não serve para nada? - perguntou Deus.
- É o horizonte. Para que serve o horizonte? Se eu caminho um passo em direção ao horizonte, ele se afasta um passo de mim. Se caminho dez passos, ele se afasta outros dez passos. Se caminho quilômetros em direção ao horizonte, ele se afasta os mesmos quilômetros de mim... Isso não faz sentido! O horizonte não serve pra nada.
Deus olhou para aquela pessoa, sorriu e disse:
- Mas é justamente para isso que serve o horizonte... " para fazê-lo caminhar "

igara disse...

Ou para unir no infinito, aquilo que não se une no espaço real :)