sexta-feira, maio 05, 2006

Palavras



A Palavra é Sagrada

Se é dita,

Se é tocada,

Falada com intenção!

Pode ser forte a Palavra

E se em vão for usada,

É como adaga espetada,

Lançada com intenção!

Mas a Palavra sentida,

Que é dita,

Que é proferida

Que diz o que vai no peito,

Merece ser Entendida,

Merece ser Comedida,

Merece Sempre Respeito!

15 comentários:

Rats disse...

Um beijinho e espero continuar a ler estes lindos poemas.

Anónimo disse...

Hoje nem o vampirinho dengoso aparece!!

Vlad disse...

E as tuas palavras são sempre para ser lidas e saboreadas ;)
(aquilo do vampirinho seria comigo ? hmm hmmm )

igara disse...

hahahhahahahaha Vladinho esse foi o primeiro pensamento que me ocorreu....seria? hmmmm hmmmm....

(não percam...cenas do próximos capitulos...será não será?)
Brevemente, num cinema perto de si... :)

Anónimo disse...

A força das tuas palavras será sempre o que me fará cativo. :)

Pinochio disse...

Minha doce amiga, não sei que dizer mais da tua poesia para além de que continuo a encantar-me, cada vez mais, com cada novo poema com que nos encantas. Não tens apenas habilidade para jogar com as palavras e fazê-las rimar com elegância, tu fazes poesia, deixas que osteus sentimentos, e a grandeza da tua alma, fluam e corram tão serenamente como a água cristalina de um riacho a correr entre prados floridos. Não sei dizer mais nada a não ser que me encanto contigo e com o teu talento, e sinto-me imensamente feliz por seres minha amiga. Um beijo do tamanho do mundo. Sem dengosidade de qualquer espécie.

alexiaa disse...

Venho essencialmente comentar a descrição do blog...por momentos pensei estar a ler-me:)). Foi só por breves instantes, quando cheguei ás "palavras" percebi que não tenho o dom de as fazer rimar dessa forma!
Bom fim de semana!

Anónimo disse...

Vampirinho dengoso
anda muito desinspirado
seu 'calaceiro'

Viva a Galp e o lobby gay

Anónimo disse...

Ora bem, decidi entrar como anónimo pq me apetece! Fonix, tb tenho direito, não? Não pq tenha um desejo secreto de ser chamado de dengoso (embora vos tenha a dizer q a palavra em si me agrada bastante, principalmente qdo aplicada ao género feminino).Não, sou apenas um gajo q qdo mal guiado, se engana nas rotundas como qlq outro e tb sou um gajo q qdo mandado parar, pára, nem q pra isso rompa meio quilo de pneus no processo... Agora vamos ao q interessa, Iga Maria o teu poema está delicioso, sobermo mesmo (aqui acaba o comentário ao poema), mas os bastidores... pá, os bastidores estão um verdadeiro must! Aguardo as "cenas dos proximos capitulos" com uma enorme expectativa. Espero q não demorem ahahahahahahahahah

igara disse...

Estou a ver que num destes dias vou ter que pedir aos anonimos que coloquem alguns numeros, para facilitar a identificação...hahahahahahaha.

Quanto ao anónimo, que embicou com o vampiro, só lhe quero dizer, que a inveja, é uma coisinha muito feia, tssss tsssss. O vampirinho, a quem te referes, tem um lugar especial nos meus sentires, e ponto final, nada mais a acrescentar.

AO anónimo, que me lê e se sente cativo, espero apenas que volte....

AO anónimo que gasta meio quilo de pneus numa rotunda, só tenho que lhe dizer, que da próxima vez esteja mais atento ás indicações...e que se pensar participar no rali Paris Dakar, terá que escolher outra, para co pilota....que eu dessa já estou fora... hahahahahahahahahahhah

Beijos para quem merece.... :)

Rats disse...

Não é necessário levar tão a sério essa cena do dengoso... o melhor seria outro adjectivo tal como: ululante... Lol

Rats disse...

Fonix é uma palavra muito feia...
Blurgh...

Rats disse...

Enquanto houver amizade
Albert Einstein
Pode ser que um dia deixemos de nos falar.
Mas, enquanto houver amizade,
faremos as pazes de novo.
Pode ser que um dia o tempo passe.
Mas, se a amizade permanecer,
um do outro há de se lembrar.
Pode ser que um dia nos afastemos.
Mas, se formos amigos de verdade,
a amizade nos reaproximará.
Pode ser que um dia não mais existamos.
Mas, se ainda sobrar amizade,
nasceremos de novo, um para o outro.
Pode ser que um dia tudo acabe.
Mas, com a amizade
construiremos tudo novamente,
cada vez de forma diferente,
sendo único e inesquecível cada momento
que juntos viveremos e nos
lembraremos pra sempre.

Há duas formas para viver sua vida.
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar, que todas as coisas são um milagre.

igara disse...

Rats, eu nem sei se acredite em milagres, mas tenho por certo, que este comment, não é um milagre e surge por um motivo seja ele qual for. Para haver amizade, é necessário empenho. E este empenho, não é unilateral, terá que ser em sintonia, porque a amizade, implicar dar e receber também. Não sei se será acertado, colocar nas mãos do destino, algo que nos cabe a nós. Liricamente, o texto está bonito, mas de forma prática, peca pela falta de entrega. A amizade, é numa análise simples, uma forma de Amar. Há amizades, que por se adensarem, tomam contornos de impossibilidades. Mas quando isso acontece, se efectivamente existe amizade, caberia explicar a quem se diz amigo o porquê da impossibilidade. E eu falo apenas de uma explicação, não de um relato fastidioso, do porquê das nossas razões. A amizade, por ser simples, deveria ser tratata e retratada com a simplicidade que merece, sem que se tivesse que remeter para incógnita de uma vida futura, porque será sempre no presente que nos faz falta! Um beijo rats, e volta sempre :)

Anónimo disse...

toda a gente t ker comer: anónimos pinochios e vampiros... já te viram a fronha??